Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Página inicial > Notícias > Notícias e Avisos > Mascotes das Olimpíadas visitam INES e recebem sinais em Libras
Início do conteúdo da página
Notícias e Avisos

Fórum Permanente de Educação, Linguagem e Surdez: evento de junho abordou formação do intérprete

  • Publicado: Quarta, 08 de Julho de 2015, 14h12

O Instituto Nacional de Educação de Surdos (INES) deu continuidade à programação 2015 do Fórum Permanente de Educação, Linguagem e Surdez na manhã do dia 30 de junho, com o tema “Formação do intérprete: interpretação e tradução como desafios”. Aberto ao público, o evento reuniu os pesquisadores da área Isaac Gomes e Mônica Souza Duarte, do INES, e Deize Vieira dos Santos, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Cerca de 150 pessoas compareceram ao auditório do instituto.

As palestras tiveram início com a professora convidada Deize Vieira, doutora em Linguística e coordenadora do curso de especialização em Libras da UFRJ. Ela debateu as funções dos tradutores e intérpretes de língua de sinais (TILS/TILSP) e os preceitos éticos que devem guiar a carreira, como a imparcialidade, o respeito ao outro e a discrição.

Deize também destacou que, como os referenciais na Libras são diferentes em relação à língua portuguesa, o desafio é identificá-los – e isto só seria possível com uma imersão na cultura: “Só tendo contato com surdos os intérpretes podem desenvolver seu trabalho. É preciso familiarizar-se com a história social, o processo educacional e os movimentos da comunidade surda para conhecer melhor sua identidade”, afirmou.

Mônica Souza, intérprete do INES, lembrou que muitos profissionais da área, até hoje, atuam sob o método “afogue-se ou nade” (sink or swim), ou seja: precisam “se virar” na interpretação sem receber nenhum treinamento formal antes. Mônica destrinchou as consequências deste método, como a falta de uma formação específica, a desvalorização do trabalho dos TILS e sua vinculação ao assistencialismo. “Temos que continuar a nos empenhar por mais qualificação”, orientou.

Com base em seus estudos, Isaac Gomes apresentou o termo “TILSP” em substituição a TILS para denominar os tradutores e intérpretes de língua de sinais (e português), já que a língua portuguesa também é instrumento de trabalho desses profissionais. O professor ainda questionou o modo como as pessoas costumam ver os intérpretes – como auxiliadores (“quebra-galho”) ou redentores/salvadores (ideia comum em igrejas), por exemplo. “Antes de falar sobre o tipo de formação, é preciso refletir sobre o tipo de profissional que esperamos formar”, enfatizou.

Por fim, os palestrantes responderam a perguntas do público e debateram sobre a formação de nível superior e tecnológico dos intérpretes de Libras.

 Veja aqui a galeria de fotos do evento

Sobre o Fórum

O INES realiza todos os anos o Fórum Permanente de Educação, Linguagem e Surdez, com o objetivo de reunir especialistas, educadores, técnicos, pessoas surdas e seus familiares para refletirem e discutirem sobre assuntos relacionados à área. Os temas são diferentes a cada mês. Entre os convidados, estão professores do próprio INES e de outros institutos e universidades.

O fórum acontece no auditório do Colégio de Aplicação do INES (2º andar), das 10h às 12h30, sempre numa terça-feira a cada mês. Para participar, basta fazer a inscrição pessoalmente no dia do evento, meia hora antes do início. Para mais informações, entre em contato com a Divisão de Estudos e Pesquisas (Diesp) pelo telefone (21) 2205-0224 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Confira abaixo a programação completa de 2015 atualizada.

Programação 2015 do Fórum Permanente: Educação, Linguegem e Surdez

Fim do conteúdo da página